A carregar / Aguarde...
:: PTPAC ::Sabia que há 50 anos escrever cinco palavras seguidas era um feito?

PTPAC

Sabia que há 50 anos escrever cinco palavras seguidas era um feito?

Dicionário digital

Sabia que há 50 anos escrever cinco palavras seguidas era um feito?
Dicionário digital
Quinta-feira, 17 de Julho de 2008


 




Já usou a sua caneta hoje? É quase certo que sim. Quer tenha apontado encontros na agenda, deixado a lista de compras no frigorífico, registado informações ao telefone, tomado notas numa aula, assinado um cheque ou simplesmente rabiscado o canto de uma folha numa reunião, a caneta é um elemento fundamental da nossa vida diária. Saca-se do bolso, tira-se a tampa e ora aí está no papel um traço firme, consistente e aparentemente interminável de tinta azul, preta, vermelha ou verde.

Quem dera às crianças dos anos 50 terem podido usufruir deste prodígio! O tique-taque do relógio de parede marcava 60 segundos para o fim do exame, só faltava acabar aquele parágrafo para responder à última pergunta, está quase, vá lá, só mais uma palavra - ah, safa!, acabou-se a tinta -, toca a mergulhar desesperadamente a pena no tinteiro, pronto, anda, escreve mais depres... e lá se esborratava a folha toda perante o olhar impiedoso do professor.

É PENA QUE NÃO ESCREVE MAIS DEPRESSA

Em 1930, em Budapeste, na Hungria, László Bíró deparava todos os dias com um problema semelhante como editor do jornal Elôtte. As canetas de tinta permanente tinham tendência a manchar o papel, rasgar páginas e raramente produziam um traço regular mesmo quando bem manuseadas. Bíró reparou que a tinta dos grandes cilindros rotativos da sala de impressão era aplicada uniformemente e não tardava a secar. Que tal reproduzir o sistema à escala muito mais pequena de uma caneta? Seria uma espécie de minúsculo roll-on de tinta.

De início, não funcionou nada bem. A tinta de jornal não era adequada, e mesmo outras variantes da substância ora se revelavam demasiado espessas ora demasiado líquidas, um obstáculo com que aliás já outros inventores se tinham debatido desde 1888 quando lhes ocorreu a mesma ideia de Bíró. Mas o engenhoso húngaro estava decidido a descortinar uma solução.

MANCHA NEGRA

O problema da tinta acompanhou a escrita em papel logo desde os seus primórdios. No ano 953, o califa Al-Muizz solicitou a construção de um instrumento portátil com um receptáculo interno de tinta para escrever sem nunca manchar o utilizador ou o papel. 600 anos depois, o inventor alemão Daniel Schwenter propôs um conceito de duas penas, uma enfiada na outra, a segunda das quais com uma rolha para armazenar tinta e transmiti-la à primeira. A ideia ficou-se, no entanto, pelo papel.

Assim, só em meados do século XIX é que as canetas se puderam verdadeiramente chamar de "tinta permanente", em especial com os avanços técnicos promovidos por Lewis Edson Waterman e, mais tarde, Walter Sheaffer e George Parker. Eram instrumentos de enorme classe, prestígio e, por conseguinte, preço, mas a próxima revolução levaria a caneta ao mercado mundial de massas.

RISCOS E RABISCOS

Com a ajuda do irmão, especialista em química, László Bíró continuou a aperfeiçoar o seu protótipo de caneta com ponta esférica de metal. Daí o nome "esferográfica" para este utensílio, que, depois de lançado numa versão plenamente funcional a partir do fim da II Grande Guerra, se propagou rapidamente pelo mundo. Hoje, estima-se que haja quinze esferográficas por escritório em todo o planeta, uma das quais está provavelmente ao alcance da sua mão. Então pegue nela e aprecie-a; tem diante de si quase 10 séculos de evolução. E com prática e exercício, pode vir a fazer estas autênticas maravilhas. Sobretudo enquanto estiver à espera ao telefone.

 


Browse


2011, Setembro
2011, Maio
2011, Abril
2011, Março
2011, Fevereiro
2011, Janeiro
2010, Dezembro
2010, Novembro
2010, Setembro
2010, Julho
2010, Junho
2010, Maio
2010, Abril
2010, Março
2010, Fevereiro
2010, Janeiro
2009, Dezembro
2009, Novembro
2009, Setembro
2009, Julho
2009, Junho
2009, Abril
2009, Fevereiro
2009, Janeiro
2008, Novembro
2008, Outubro
2008, Setembro
2008, Agosto
2008, Julho
2008, Junho
2008, Maio
2008, Abril
2008, Março
2008, Fevereiro
2007, Dezembro
2007, Novembro
2007, Outubro
2007, Fevereiro
2007, Janeiro
2006, Dezembro
2006, Outubro
2006, Julho
 
Site realizado por www.ptpac.com | Desenhado para o FIREFOX, SAFARI, IE E OPERA | 1024 X 768